Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

conaculta

"We must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem"

1974

Interessa saber que lhe contava histórias de amigos que tinham visitado o Bangladesh e lhe tinham trazido sabonetes feitos à mão por prostitutas, o tipo de coisa, dizia ela, que todos os parvalhões da física quântica iriam adorar. Interessa saber, que ela tinha uma pele óptima que parecia um pêssego de tão natural e que ela adorava isso, mas não tinha noção do custo monetário disso.

Enfim, interessa saber que pessoas gostam de ser mundos para outras pessoas e farão milagres por elas, por muito que às vezes — era uma coisa cultural nela —, necessitasse convencer-se de que não há heróis. Simplesmente, em 1974, tinha ela quatro anos, a homossexualidade foi reconhecida como mais uma forma de interacção animal (dizia ela) e deixara de figurar no Terceiro Manual Diagnóstico Estatístico dos Distúrbios Mentais.

Os pais dela tinham-na criado com base nos ensinamentos do Dr. Spock que talvez gostasse de fazer Scuba Diving e mergulho profundo nas noites do Trumps, nos tempos em que o António Variações lá tinha sido porteiro.

 


«we must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem»

Autora

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D