Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

conaculta

"We must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem"

L´Arrache Coeur

O meu crush são famílias antigas francesas. Este ano, estando eu estacionada nas areias quentes de Copacabana, à espera dos fogos, com uma garrafa de fake Champagne, apareceu um exemplo deste tipo de família que me deixa fora de mim. Com vontade mesmo. Muitas das pessoas que têm apartamentos na Avenida Atlântica fazem festas particulares de onde vêem o fogo de artifício nas suas varandas de 300 metros quadrados e mais tarde descem à praia para saltar ondas, dar um ar de sua graça, ou simplesmente, poderem brincar de Lança Perfume longe da cara dos caretas.

Paris foi uma vez a minha cidade, eu tinha quinze anos, uma melhor amiga e o coração a trabalhar correctamente. E Paris fica para sempre quando vemos a rive gauche com o coração a funcionar. A pessoa apaixona-se pelas francesas, pelos cortes de cabelo dos franceses e quer ser a Jean Seaberg e passar o tempo todo à bout de souffle e compra muitas boinas que nunca mais vai usar e senta-se no chão da Fnac e aprende a dizer allons y. Coisa que nunca tive o prazer de dizer a ninguém de uma família antiga francesa. Apesar disso e como o mundo escreve direito por linhas tortas foi em Paris que me apaixonei pela primeira vez por uma mulher, que escrevi as primeiras cartas de amor a uma mulher, que tive uma vontade maníaca de morder os lábios de uma mulher. Depois cresci e foi só vento sem parar. Sabem o que é uma Stalker? Sabem como descobrir uma stalker? É muito engraçado e fácil. Vejam: 1- Nas dez primeiras mensagens que vos mandarem vão dizer que não são stalkers; 2 - São excelentes sexters; 3 - Podem levar anos nisto que jamais desistem; 4 - São pessoas salvadoras de pessoas más.  Escritoras têm um ego do tamanho de uma música do Caetano Veloso e são visceralmente disgusting. E é por isso que ando a espancar o gordufo do ego dentro de mim todos os dias. Ainda bem que vai começar a chover, é mais uma sevícia, o mete nojo  odeia chuva.

 


«we must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem»

Autora

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D