Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

conaculta

"We must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem"

Warner Bros

Mais linda, mais pequenina, mais frágil, mais forte, mais minha e eu tua, mais nós a sentir tudo, mais forte, mais vulnerável, mais pequenina, tudo outra vez, mais voltar-te nos meus braços, mais mordidas tuas all over, perfeitas, como tu sabes fazer, onde estavas antes de mim, onde estava eu? Eu sei, perdida na praia como quando somos pequenos. Digo-te que és como os grãozinhos de areia, que cais entre os meus dedos, que és lisinha e me foges tanto. Não sei o que te mete medo, mas deve ser o Jack Nicholson e a Shelley Duvall, no Shining. Na verdade queria ser eu a meter-te medo por causa do amor. Queria que me deixasses pegar-te ao colo e adormecer-te dias seguidos e que não tivesses nunca mais, mais ninguém. Que as coisas todas te fossem indiferentes e boring. Queria que tivesses muita vontade de mim. Que usasses relógio e fosses capaz de matar gatinhos, torcendo-lhes o pescoço.


«we must enter into that willing suspension of disbelief required in the reading of any poem»

Autora

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D